O balanço e as prioridades PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Avaliação: / 0
FracoBom 

Neste mês de agosto onde o sol nos presenteia com raios iluminados e quentes atrevo me a sugerir que percorram os labirintos da vossa memória numa viagem introspectiva de mais um ano de vida e de trabalho, onde a felicidade ou a falta dela, a alegria e tristeza tiveram por certo os seus momentos, não fossem estes elementos essenciais na nossa vida.

Faço esta sugestão a quem numa qualquer praia ou local aprazível tenha a oportunidade de me estar a ler.

São tantos os momentos que passamos e que não temos tempo de os analisar, a sociedade vive num ritmo alucinante que não dá espaço à reflexão, nunca temos tempo a perder e é geralmente nas férias que em repouso conseguimos serenamente parar e pensar….

É este o momento que vos proponho, se não vejamos, quantas vezes tiveram a atenção devida com os vossos familiares mais chegados, um carinho, uma presença um telefonema. Lembram-se da última vez que falaram com os vossos primos, tios ou avós?

E a ultima vez que levaram por exemplo os vossos afilhados a comer um gelado?

Estes são só alguns exemplos que para uns podem ser estapafúrdios mas que para outros tenho a certeza que se identificaram e estão neste momento a pensar vou ligar já e dizer um olá…….

Nunca se esqueçam que um dos grandes pilares da nossa vida são as nossas famílias  desde os que estão mais próximos até aqueles que não estando perto têm orgulho extremo de ser parte integrante destas.

A nossa capacidade cognitiva de saber interpretar os sinais de outros seres semelhantes a nós, deve permitir também discernir que todos nós recebemos e emitimos diariamente esses sinais e devemos ter sempre as nossas “antenas” em alerta para sabermos receber e descodificar os mesmos.

Assim, espero que este momento de reflexão que vos propus tenha contribuído de alguma forma para recentrar as prioridades que cada um deve ter na coesão familiar.

 

 

O Secretário Geral da CNAF - Confederação Nacional das Associações de Família

 

Hugo Oliveira

 

in Diário de Leiria, 7 de Agosto de 2015